A guia Notícias do Facebook chega ao Reino Unido

26 de janeiro de 2021 0 632

É a primeira expansão do recurso fora dos EUA.

O Facebook está trazendo sua guia dedicada Notícias para o Reino Unido na terça-feira , o que marca a primeira vez que a empresa lança o recurso fora dos Estados Unidos . Você pode acessar a guia Notícias no menu do aplicativo do Facebook.

Ele apresenta notícias personalizadas de acordo com seus interesses, além de uma seleção selecionada das principais notícias do dia. O Facebook fornecerá resumos de notícias durante os principais eventos, que destacarão as reportagens “autorizadas” e originais – atualmente há um resumo centrado em COVID-19. 

Existem seções para vários tópicos, incluindo ciência e tecnologia, negócios, entretenimento, saúde e esporte. Você poderá selecionar quais histórias, tópicos e editores deseja ver na guia e ocultar os que não deseja. Seu Feed de notícias ainda incluirá artigos compartilhados por pessoas e páginas que você segue.

A empresa está pagando organizações de notícias do Reino Unido para licenciar artigos de centenas de publicações. Juntamente com o lançamento, o Facebook anunciou mais editoras cujo trabalho será apresentado na guia, incluindo Channel 4 News, Daily Mail Group, Financial Times, Sky News, Telegraph Media Group e DC Thomson (divulgação: um ex-empregador meu). Ela anunciou anteriormente parcerias com empresas como The Guardian, The Economist e STV, bem como sites de notícias locais e marcas de estilo de vida da Conde Nast e Hearst. 

O Facebook diz que a mudança é o início de “uma série de investimentos internacionais em notícias”. Está em negociações com editoras na França e na Alemanha para trazer a guia Notícias para esses países. A empresa já havia sugerido planos de lançar o recurso na Índia e no Brasil.

Enquanto isso, o Google concordou recentemente em pagar aos editores franceses por trechos de amostra que aparecem em sua seção de notícias. A empresa ameaçou na semana passada fechar o Search na Austrália se o país a obrigasse a pagar as editoras pelo uso de seu conteúdo.

Facebook