Google proibirá anúncios em histórias que promovam teorias de conspiração COVID-19

18 de julho de 2020 0 671

Como parte de sua esforços contínuos para evitar desinformação sobre o COVID-19, O Google bloqueará mais anúncios de sites que promovem teorias da conspiração sobre a doença. A empresa disse na sexta-feira que utilizará análises humanas e automatizadas para detectar sites e anunciantes que se entregam ativamente à divulgação online de informações prejudiciais. A nova política entrará em vigor no dia 18 de agosto.

“Estamos implementando salvaguardas adicionais ao expandir nossas políticas de alegações de saúde prejudiciais para editores e anunciantes para incluir conteúdo perigoso sobre uma crise de saúde que contradiz o consenso científico”, disse um porta-voz do Google. Como parte do plano, a empresa proibirá o conteúdo que“Contradiz consenso científico autoritário” durante grandes crises de saúde.

O gigante das buscas afirmou ainda que já removeu mais de 200 milhões de anúncios que estavam intencionalmente divulgando informações erradas sobre a pandemia. Também prometeu agir contra sites que perpetuam teorias ultrajantes de conspiração sobre a pandemia. Sites que não alteram suas políticas podem acabar sendo banidos permanentemente da lucrativa plataforma do Google Ads.

As teorias da conspiração em torno da pandemia se espalharam por todas as principais plataformas online nos últimos meses. Enquanto alguns afirmam queRedes 5G estão espalhando o coronavírusem todo o mundo, outros afirmam que foi criado como uma arma biológica pelo governo chinês. Outra teoria da conspiração popular vai ainda mais longe ao afirmar que o co-fundador da Microsoft, Bill Gates, financiou a criação do vírus mortal. É claro que os principais cientistas e jornalistas investigativos desmentiram cada uma dessas teorias da conspiração.

>

Notícia