Índia preparada para missão espacial não tripulada em dezembro de 2019

30 de abril de 2020 0 119

A primeira das duas missões espaciais não tripuladas, como parte da missão espacial humana da Índia, acontecerá em dezembro de 2019, disse um alto funcionário da agência espacial indiana.

Falando aos repórteres após o lançamento bem-sucedido do satélite de comunicação GSAT-29 K.Sivan, Presidente da Organização Indiana de Pesquisa Espacial (ISRO), disse que haverá duas missões não tripuladas antes da efetiva missão espacial humana em 2022.

“A primeira das duas missões não tripuladas será em dezembro de 2019. Esforços estão sendo feitos para obter a classificação humana do GSLV-Mk III (Veículo de Lançamento de Satélite Geossíncrono)”, disse Sivan.

>

De acordo com P. Kunhikrishnan, diretor do UR Rao Satellite Center (URSC), o Orbiter (equipamento que orbita a lua), Lander (que é deixado cair na superfície da lua) e Rover (que faz o motor na superfície da lua para realizar experimentos) a ser transportado pela espaçonave Chandrayaan-2 estão sob vários estágios de desenvolvimento.

Ele disse que a sonda lunar está completando testes de qualificação. Sivan disse que a espaçonave Chandrayaan-2 será transportada para a Lua por um foguete GSLV-Mk III em janeiro de 2019.

O presidente da ISRO disse que a agência espacial está trabalhando para realizar 10 missões antes de janeiro de 2019.

O veículo de lançamento de satélite geossíncrono de foguetes pesados ​​da Índia (GSLV-Mk III) colocou o satélite de comunicação GSAT-29 em órbita na quarta-feira.

O foguete levará o GSAT-29 pesando 3.423 kg (pouco mais de 3,4 toneladas) e o lançará na Geo Transfer Orbit (GTO) pouco mais de 16 minutos em seu vôo. O satélite será elevado à órbita geo-estacionária (GSO) final, a uma altitude de 36.000 km da Terra.

Com uma vida útil de 10 anos, o satélite GSAT-29 transporta transponders de comunicação de alta taxa de transferência de banda Ka / Ku, destinados a atender aos requisitos de comunicação de usuários, incluindo aqueles em áreas remotas.

Com entradas do IANS

>

Notícia