Índia tem o segundo maior número de solicitações governamentais de dados de usuários do Facebook

30 de abril de 2020 0 49

O governo indiano solicitou ao Facebook que fornecesse dados para 20.805 usuários (incluindo 861 solicitações de emergência) no período de julho a dezembro de 2018 – perdendo apenas para o governo dos EUA – e a gigante das redes sociais forneceu alguns dados em 53% dos casos.

Durante o segundo semestre de 2018, o volume de restrições de conteúdo com base nas leis locais aumentou globalmente em 135%, de 15.337 para 35.972.

“Este aumento foi impulsionado principalmente por 16.600 itens que restringimos na Índia, com base em uma ordem do Supremo Tribunal de Délhi em relação a reivindicações feitas sobre os produtos PepsiCo”, disse o Facebook.

O governo dos EUA pediu dados dos usuários em 41.336 casos, nos quais o Facebook forneceu algumas informações em 88% dos casos, revelou o último Relatório de Transparência da empresa para o segundo semestre de 2018.

“No segundo semestre de 2018, as solicitações governamentais de dados de usuários aumentaram globalmente em sete por cento, de 103.815 para 110.634”, disse Chris Sonderby, vice-presidente e vice-conselheiro geral do Facebook, em comunicado na noite de quinta-feira.

Esse aumento reflete o crescimento normal do segundo semestre em comparação com os períodos anteriores.

“Do volume total, os EUA continuam a enviar o maior número de solicitações, seguidos pela Índia, Reino Unido, Alemanha e França”, acrescentou.

As solicitações de informações incluem restrições de conteúdo com base na legislação local, relatórios sobre locais onde o acesso aos produtos e serviços do Facebook foram interrompidos e relatórios de contrafação, direitos autorais e violação de marca comercial.

Nos EUA, o Facebook recebeu três por cento menos solicitações do que no último período do relatório, dos quais 58 por cento incluíam uma ordem de não divulgação que proíbe o Facebook de notificar o usuário.

>

Notícia