Parler está de volta online depois que a Amazon o tirou da internet

15 de fevereiro de 2021 0 15

A empresa disse que seu novo site é baseado em tecnologia “independente e sustentável”.

Mais de um mês depois de ter sido cortado da Internet pela Amazon , a rede social de “liberdade de expressão” Parler anunciou na segunda-feira que estava novamente online. Em um comunicado à imprensa compartilhado com o Engadget e várias outras publicações, a empresa disse que seu novo back-end é “construído em tecnologia independente e sustentável e não depende da chamada ‘Big Tech’ para suas operações”.

O site está mais funcional do que quando voltou parcialmente online em meados de janeiro , embora recursos como a criação de contas ainda não estejam totalmente funcionais. Você também pode ver links para baixar o aplicativo móvel de Parler, mas tocar neles não faz nada, pois nem a Apple nem o Google permitiram que a empresa voltasse a suas respectivas lojas de aplicativos.

No rescaldo do motim de 6 de janeiro no Capitólio, a Amazon suspendeu o acesso de Parler ao AWS em 10 de janeiro por violar seus termos de serviço. Amazon, Apple e Google começaram a se distanciar de Parler depois que surgiram evidências de que os manifestantes no ataque ao Capitólio, que deixou cinco mortos , usaram a plataforma para organizar o incidente. 

Na tentativa de voltar a ficar online, Parler processou a empresa com base na antitruste e pediu a um tribunal federal que obrigasse a Amazon a restaurar seu serviço enquanto o caso se desenrolava. Mas um juiz federal negou o pedido . O drama jurídico não é a única coisa que está acontecendo nos bastidores em Parler. No início de fevereiro, descobriu-se que o conselho de diretores da empresa havia demitido o CEO John Matze a mando da doadora política republicana Rebekah Mercer.

Comunicados